FRASE DA SEMANA (mande a sua)

Na maioria das vezes somos causadores das nossas próprias desgraças!!! "Nogueira"

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

DDS - QUASE ACIDENTES SÃO SINAIS DE ALERTA

Muitos acidentes quase acontecem... São aqueles que não provocam ferimentos apenas porque
ninguém se encontra numa posição de se machucar. Provavelmente, se nós tivéssemos conhecimento
dos fatos, descobriríamos que existem muito mais acidentes que não causam ferimentos do que aqueles
que causam.
Você deixa alguma coisa pesada cair de suas mãos e não acerta o próprio pé. Isto é um acidente, mas
sem grandes conseqüências ou mesmo um pequeno ferimento. Você sabe o que geralmente faz com
que um quase acidente não seja um acidente com ferimentos? Geralmente é uma fração de segundo ou
uma fração de espaço. Pense bem. Menos de um segundo ou um centímetro separa você ou uma
pessoa de ser atropelado por um carro. Esta diferença é apenas uma questão de sorte? Nem sempre.
Suponha que você esteja voltando para a casa à noite de carro e por pouco não tenha atropelado uma
criança correndo atrás de uma bola na rua. Foi apenas sorte você ter conseguido frear no último
segundo a poucos centímetros da criança? Não. Um outro motorista talvez tivesse atropelado a criança.
Neste exemplo os seus reflexos podem ter sido mais rápido, ou talvez você estivesse mais alerta ou
mais cuidadoso. Seu carro pode ter freios melhores, melhores faróis ou melhores pneus. De qualquer
maneira, não se trata de sorte, apenas o que faz com que um quase acidente não se torne um acidente
real. Quando acontece algo como no caso da criança quase atropelada, certamente, você reduzirá a
velocidade sempre que passar novamente pelo mesmo local, você sabe que existem crianças brincando
nos passeios e que, de repente, elas podem correr para a rua.
No trabalho um quase acidente deve servir como aviso da mesma maneira. A condição que quase
causa um acidente pode facilmente provocar um acidente real da próxima vez em que você não estiver
tão alerta ou quando seus reflexos não estiverem atuando tão bem.
Tome por exemplo, uma mancha de óleo no chão. Uma pessoa passa, vê, dá a volta e nada acontece. A
próxima pessoa a passar pelo local não percebe o óleo derramado, escorrega e quase cai. Sai
desconcertado e resmungando. A terceira pessoa, infelizmente, ao passar, escorrega, perde o equilíbrio
e cai, batendo com a cabeça em qualquer lugar ou esfolando alguma parte do corpo.
Tome um outro exemplo. Um material mal empilhado se desfaz no momento que alguém passa por
perto. Pelo fato de não ter atingido esta pessoa, ela apenas se desfaz do susto e diz. “Puxa, essa passou
por perto!”
Mas se a pilha cai em cima de alguém que não conseguiu ser mais rápido o bastante para sair do
caminho e se machuca, faz-se um barulho enorme e investiga-se o acidente.
A conclusão é mais do que óbvia. NÓS DEVEMOS ESTAR EM ALERTA PARA O QUASE
ACIDENTE. Assim evitamos ser pegos por acidentes reais. Lembre-se que os quase acidentes são
sinais claros de que algo está errado. Exemplo: Nosso empilhamento de material pode estar mal feito;
a arrumação do nosso local de trabalho pode não estar boa. Vamos verificar nosso local de trabalho, a
arrumação das ferramentas e ficar de olhos bem abertos para as pequenas coisas que podem estar
erradas. Relate e corrija estas situações. Vamos tratar os quase acidentes como se fossem um acidente
. Controle e Automação Rua Pedro Álvares Cabral, 415 – B. Coral – Fone: (49)3251-9000 – Lages – SC – www.coisarada.net
3
grave, descobrindo suas causas fundamentais enquanto temos chance, pois só assim conseguiremos
fazer de nosso setor de trabalho um ambiente mais sadio.

Um comentário:

negralopes disse...

adorei seu blog vai ser muito enriquecedor visita-lo bjs!